Post image

O volume dos Serviços goiano cresceu 2,2% de maio para junho/2019

De acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PMS/IBGE), no confronto com o mês imediatamente anterior, entre as 27 Unidades da Federação, oito registraram taxas positivas, com destaque para Mato Grosso (4,2%) e Goiás (2,2%). Em contrapartida, os principais resultados negativos vieram de Roraima (-6,0%), Santa Catarina (-4,9%) e Piauí (-4,8%).

 Na comparação com junho de 2018, o volume do setor de Serviços em Goiás recuou 3,5%. Em paralelo, o volume de Serviços no Brasil sofreu queda de 3,6% e foi acompanhado por 20 das 27 Unidades da Federação. As principais taxas negativas ficaram com Acre (-11,8%) e Piauí (-10,7%). Por outro lado, Amazonas e Pernambuco registraram os maiores avanços com 4,0% e 2,6%, respectivamente. Na Tabela 1 é apresentado o resultado da Pesquisa para Goiás e Brasil, em volume, na comparação interanual.

No setor de Serviços goiano, dentre as cinco atividades divulgadas, apenas serviços prestados às famílias (10,7%) apresentou variação positiva. Por outro lado, o segmento de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio apresentou o maior recuo (-11,8%). Em Goiás, a receita nominal de serviços, na comparação interanual, aumentou 0,1%. As maiores taxas positivas ocorreram nos segmentos de serviços prestados às famílias (13,9%) e outros serviços (2,3%).

Em sentido oposto, Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio registraram a menor variação em junho (-3,8%). Os resultados para o Brasil apresentaram desempenho positivo de 0,4%. No acumulado do primeiro semestre de 2019, Goiás e Brasil obtiveram taxas de –0,7% e 9,9%, respectivamente (Tabela 2). O setor de Serviços em Goiás apresentou desaceleração na primeira metade de 2019, de -3,6%. A queda se deu em quatro das cinco atividades investigadas, exceto Serviços prestados às famílias, que fechou o semestre com taxa positiva. Este movimento de perda de dinamismo, no período de janeiro a junho de 2019, foi concentrado nos dois setores de maior contribuição para a formação do volume total de serviços: Serviços profissionais, administrativos e complementares e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio. O que se observa é que o setor de Serviços em Goiás ainda não conseguiu deslanchar, pois, além do resultado do primeiro semestre, são quatros anos consecutivos de queda, sendo 2015 (-5,2%), 2016 (-8,9%), 2017 (-3,7%) e 2018 (-1,1%), acumulando uma perda de 17,7% no período. Atividades Turísticas A atividade turística em Goiás, na passagem de maio para junho de 2019, teve crescimento de 0,2%, e o Brasil apresentou queda de 0,2%. Regionalmente, houve equilíbrio entre as 12 Unidades da Federação em que o indicador é investigado, em que seis registram taxas negativas e seis positivas. O principal resultado positivo ficou com o avanço vindo de Santa Catarina (4,6%) e em sentido contrário, o pior resultado ficou com o Distrito Federal (-5,4%).

Na comparação junho de 2019 / junho de 2018, o índice de volume de atividade turística, em Goiás, apresentou aumento de 5,1% e no Brasil houve expansão de 2,5%. Em termos regionais, nove das doze Unidades da Federação em que o indicador é investigado, acompanharam este movimento de crescimento observado no Brasil, com destaque para Ceará (10,9%). Em contrapartida, as únicas duas localidades que registraram impactos negativos foram Distrito Federal (-15,5%) e Paraná (-0,6%).

Clique no link http://www.imb.go.gov.br/files/docs/releases/pms/2019/pms201906.pdf e confira a Pesquisa Mensal de Serviços.

Fonte: IMB (Instituto Mauro Borges).